terça-feira, 16/08/2022

ASSOCIE-SE

spot_img

CNTA realiza pesquisa para identificar o perfil do caminhoneiro autônomo

A Confederação Nacional dos Transportadores Autônomos (CNTA) encomendou uma pesquisa com o instituto AGP Pesquisas para traçar o perfil do caminhoneiro autônomo de cargas. O objetivo do levantamento é identificar as especificidades deste profissional e com base nessas informações possibilitar o desenvolvimento de ações focadas em suas necessidades e realidade. Esta é a primeira pesquisa realizada com foco exclusivo no caminhoneiro autônomo.

O caminhoneiro autônomo no Brasil trabalha em média 13 horas por dia e 23 dias por mês para receber cerca de R$ 4 mil. É o que mostra a Pesquisa da CNTA.

A pesquisa foi aplicada presencialmente entre os dias 4 e 18 de abril de 2022 e contou com uma amostragem de 1.000 caminhoneiros espalhados em cinco pontos do Brasil, sendo eles Paranaguá (PR), Santos (SP), São Paulo (SP), Contagem (MG) e Feira de Santana (BA). Ao todo, a entidade formatou um questionário com 25 perguntas que visavam traçar o perfil demográfico, social e profissional do caminhoneiro autônomo.

A pesquisa da CNTA revelou informações que destoam do conhecimento popular da categoria, como por exemplo, a situação da frota destes profissionais. Segundo o levantamento, a idade média do veículo do TAC é de 14 anos, sendo que o implemento mais utilizado é o baú (35%). Dentre os entrevistados, 81% apontou que o seu veículo já está quitado.

Outro ponto de grande atenção é quanto ao conhecimento do caminhoneiro às leis que regem sua profissão, uma vez que 45% apontou desconhecera existência da Lei do Piso Mínimo do Frete. A CNTA também registra a preocupação destes profissionais quanto à sua segurança. Isto porque, 59,7% dos entrevistados responderam que nunca se sentem seguros nas rodovias e 43,4% deles já foi vítima de roubo de carga.

Quanto ao perfil social do caminhoneiro autônomo, 52% estudou até o ensino médio e possuem uma média de 19 anos de profissão.

A pesquisa na íntegra está disponível no site da CNTA.

A pesquisa norteará a CNTA no desenvolvimento de ações mais assertivas e eficazes para a categoria. A entidade também poderá alinhar seus projetos de acordo com as dificuldades apontadas pelos caminhoneiros autônomos.

Dentre as ações já previstas pela CNTA, está a construção de uma campanha informativa quanto aos direitos da categoria, munindo os profissionais de informação para que possam exigir o cumprimento das leis que protegem seu trabalho.

“Identificamos alguns desafios com nossa pesquisa e nos surpreendemos com alguns resultados. Nosso objetivo com a pesquisa é estabelecer um planejamento mais efetivo dentro das demandas levantadas e evidenciar para a sociedade qual é a realidade deste profissional”, destaca o presidente da CNTA, Diumar Bueno.


Fonte:
 CNTA
Foto: Portal Estrada

Matérias Relacionadas

Abralog nas Redes
spot_img

Últimas Matérias