Empresa de transporte de cargas cresce 33% no primeiro semestre

 

O setor de logística voltou a crescer. Prova disso é a abertura de 12,8 mil postos de trabalho, no primeiro trimestre deste ano, no transporte rodoviário de cargas. Se for considerado o total de empregos com carteira assinada no setor de transporte, armazenagem e correios, que foi de 16 mil, o número chega a ser 52% maior do que o registrado no mesmo período de 2018. Os dados constam no Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) e mostram o bom desempenho do setor, responsável por 80% da movimentação de cargas no Brasil, segundo um estudo da Fundação Dom Cabral.

Uma das empresas que sentiu esta recuperação foi a paranaense Cargolift. A empresa do ramo de logística e transportes registrou aumento de 33% no faturamento acumulado de janeiro a julho. Confiança na economia brasileira e inovação foram as grandes responsáveis pelo crescimento, tanto que a empresa inaugurou, em janeiro, uma filial em São Bernardo do Campo, São Paulo para atender a demanda. Prospecção de novos contratos, aumento de volumes nos clientes corporativos, foco nos fretes em rotas de melhor produtividade e serviços personalizados em soluções logísticas foram as outras ações práticas.

Segundo o CEO da empresa, Markenson Marques, o volume de crescimento deve aumentar ainda mais até dezembro. “Estamos bastante otimistas, calculando 40% de aumento no faturamento deste ano. A empresa acredita no crescimento da economia brasileira por observar decisões e ações acertadas do governo, seja na política econômica e no ajuste fiscal, no apoio responsável do congresso nacional às reformas inadiáveis, a iniciar pela Nova Previdência já aprovada e à Reforma Fiscal, além de um amplo programa de desburocratização para a atividade empresarial. Por esta razão investimos R$ 25 milhões em renovação de frota no início deste ano e pretendemos investir mais, vislumbrando, obviamente, crescimento”, destaca.

Com os investimentos a Cargolift pode prospectar clientes. Só nos primeiros seis meses do ano a empresa assinou cinco novos contratos com multinacionais. Para a SIG Combibloc, fabricante de embalagens cartonadas assépticas, a empresa passou a fazer 100% do transporte de contêineres. Para o cliente TRW Automotive é feito o transporte “inbound”. Em abril a transportadora passou a atender a Arlanxeo, a partir de sua unidade no nordeste. E também foi iniciado o contrato de operação de transporte com a francesa Valeo.

Outros contratos também estão sendo assinados, segundo o diretor comercial da transportadora, Ramon Fressato Henche. “Finalizamos as negociações com a japonesa Denso, para a qual a Cargolift fará o transporte de contêineres a partir deste semestre. Isso representará pelo menos mais 5% de crescimento no faturamento de 2019, e é com este aumento que bateremos os 40% do ano”, anuncia.

A Cargolift possui hoje 13 unidades em operação no Brasil, com abrangência de Pernambuco ao Rio Grande do Sul. Em outubro entrará em funcionamento a nova unidade em Osasco, São Paulo, especializada em produtos químicos.

Além das unidades, outro investimento da transportadora é em projetos de inteligência artificial. Segundo o diretor administrativo financeiro da Cargolift, também responsável pela área de TI, Rafael Mansur, em 2019 a empresa investiu em tecnologia, cerca de 20% do resultado bruto do ano anterior. “Parte do resultado é direcionado para tecnologia, o que torna nossos serviços ainda mais diferenciados. Os investimentos chegarão, nos próximos meses, a R$ 7 milhões. Isso nos ajudará ainda mais no monitoramento dos caminhões, otimização de processos, definição de rotas entre outras coisas”, afirma.

Todo o investimento em modernização e ampliação, segundo Markenson, provoca crescimento em outras áreas da empresa também. “O aumento no número de contratos, unidades e frota, faz aumentar o número de colaboradores da Cargolift, e isso nos deixa muito feliz, pois estamos ajudando o país a reduzir o número de desempregados e com isso fazendo a economia melhorar. Sem contar os recursos que repassamos, por meio de impostos, aos projetos sociais, esportivos e culturais que apoiamos, e que atendem a pessoas carentes. E queremos que isso cresça cada vez mais, por isso somos otimistas sobre o futuro do país”, explica.

O Grupo CARGOLIFT é formado pelas empresas CARGOLIFT Logística S/A, Requinte Empreendimentos, Requinte USA LLC, CargoMARQUES e MatrixCARGO – empresa criada neste ano e que investe em plataforma de inteligência artificial com foco em logística. Além disso, o grupo é mantenedor do INSTITUTO CARGOLIFT, para o qual direciona 12% do LAIR (Lucro Antes do Imposto de Renda) das empresas para o desenvolvimento de projetos no terceiro setor.

Fonte: Dino – divulgador de releases



Deixe uma resposta