GEE, empresa de pool de paletes, associa-se à Abralog para viver logística do País

O palete, um simples estrado de madeira, tem importância capital na logística. E, se usado no sistema de pool, sua função vira sinônimo de eficiência, rapidez, redução de custos, sustentabilidade e tranquilidade. É do que trata a presente entrevista com Augusto Canozo, sócio-diretor e fundador da GEE – Gestão de Paletes Vermelhos, nova associada da Abralog. Canozo, um engenheiro de Produção com passagens por Carrefour e C&A, diz que uma das missões da empresa é, 
“sempre”, usar a redução de custo proporcionada pelo pool a favor dos clientes.
O que é a GEE – Gestão de Paletes Vermelhos? 
Somos uma empresa de soluções em gestão de paletes e embalagens. Nosso negócio é  conferir alta performance à rentabilidade das operações dos clientes, tanto no que ele paga, quanto no que recebe em eficiência e sustentabilidade. Quando uma empresa faz sua distribuição paletizada pelos paletes vermelhos, ou seja, pelo pool GEE, ela deixa, por exemplo, de se preocupar com a logística reversa, que é por nossa conta, e passa a ganhar por compartilhar ativos num pool.
Como funciona o pool de paletes GEE?
Nossa sede fica em São Paulo e conta com braços em outros Estados. Temos de estar próximos dos clientes e das redes de varejo e de distribuidores. Numa palavra: fluxo e malha tem de funcionar em sincronia. Aliás, um exercício contínuo nosso é o de revisar a malha, enxergando a localização de nossas unidades segundo a dinâmica dos clientes atuais e daqueles que estão se juntando ao pool de paletes vermelhos, vindos de diversas cadeias produtivas.
E como é operar um pool de paletes no Brasil?
Os objetivos do pool são simples, já a operação, longe disso. O pool é um ciclo virtuoso em que são usados paletes de qualidade, 100% sustentáveis, com madeiras advindas de florestas renováveis. Contamos com certificações ISO 9001 e 14001. Para representar um pool visualmente, imagine-se um círculo em que os paletes são solicitados junto à GEE, que os entrega no local indicado e depois os retira, também conforme indicação. Esses paletes, a cada retorno às bases GEE, passam por rigorosa manutenção e voltam ao pool, circulando pelas diversas cadeias de suprimento que se utilizam de nosso sistema. Palete no nosso pool não gera descarte na natureza – as partes eventualmente trocadas têm outros usos, como geração de energia. O pool GEE, ao compartilhar os ativos, gera uma grande economia ,  tornando nossa proposta de valor extremamente atraente aos nossos clientes. Além disso, o palete é usado em ciclos, de longa duração, totalmente sustentável, e esse é outro grande compromisso que temos.
A logística é influenciada hoje por forte revolução tecnológica. É possível utilizar tecnologia no negócio de paletes? 
Sem dúvida. O desempenho da logística nas organizações está fortemente associado  à gestão e compartilhamento das informações. Nessa linha,  temos nosso sistema de gestão, que é uma exclusividade tecnológica desenvolvida por time de especialistas em cadeia logística e IT. Além disso,  estamos conectados às tendências,  como a logística 4.0, por exemplo; procuramos entender como ela pode influenciar positivamente a operação do pool. A tecnologia é uma grande retaguarda e ela tem impulsionado as avanços constantes em nosso sistema.
O que a GEE quer ser daqui a 5 anos? 
Queremos e vamos ser referência no País em gestão de pool de paletes próprios e de paletes de terceiros; este, é também modelo ao qual nos dedicamos.
A terceirização logística é utilizada na empresa? Qual sua importância? 
Sim, e é muito importante. A terceirização se faz necessária devido à extensão geográfica do Brasil e pela expansão de nossa capilaridade. Serviços como transporte, áreas de armazenagem, mão de obra, aluguel de equipamentos e compartilhamento de estruturas provocam redução de custos, eficiência ao processo logístico e oportunidades de custos mais competitivos  para os nossos clientes , o que buscamos em tudo o que fazemos .
Por que a GEE se associou à Abralog? 
Associar-se a uma entidade de prestigio e referência na área gera muitos benefícios, entre eles o compartilhamento de visões e tendências de mercado. Além disso, é uma oportunidade que a GEE tem de poder prestar sua contribuição, não só ao setor logístico, mas também à logística do Brasil, empunhando as bandeiras da Abralog, como a luta pela multimodalidade e quebra das barreiras burocráticas que emperram o desenvolvimento do País.  Acreditamos que estar junto da Abralog é estar no centro de decisão da logística.


Deixe um comentário