HandOver, especializada em logística com lockers, é a nova associada Abralog

Em 2018, quando morava em Toronto, no Canadá, Nelson Júnior Queiroz Sauer viu-se diante de um problema prosaico: queria comprar um produto pela internet, mas a empresa não conseguia entregar na casa onde morava e nem ele tinha como buscar em horário comercial. Foi assim que surgiu a HandOver, empresa especializada em logística com lockers, e nova associada Abralog. Sauer, formado em computação e pós-graduado em gestão de negócios e projetos, conta nesta entrevista o que é a empresa e como ela opera. A HandOver armazena hoje, diariamente, cerca de 1.000 produtos vendidos pelo e-commerce, nas modalidades compre e retire e cross-docking.

Conta essa história da compra, que não foi efetuada?

Como eles não conseguiam entregar, e eu não tinha horário para retirar, a solução era um armário fora da loja, para que eu pudesse retirar a compra num momento conveniente para mim. Iniciamos, então, no Brasil, com um produto do tipo compre e retire, e ao longo do tempo evoluímos para uma plataforma de lockers, operados por aplicativo, que distribuídos de forma estratégica aumentam a eficiência das entregas e reduzem custos.

Qual o diferencial da empresa?

O diferencial da HandOver é a forte cultura no uso de tecnologias, não somente IoT, mas tecnologias de data science e inteligência artificial que entregam mais valor nas operações dos clientes e favorecem a escalabilidade das nossas plataformas.

O que a empresa quer ser daqui 5 anos?

Dominar o mercado de tecnologia para armários inteligentes.

Nesse momento de revolução tecnológica, como vocês encaram as tecnologias disruptivas e como se preparam para essa era?

Encaramos como ótimas formas de transformações e melhorias. Nosso DNA é 100% tecnológico e estamos sempre inovando, tanto que somos pioneiros na solução de armários inteligentes para transitpoint e crossdocking. Disponibilizamos tecnologia de inteligência de dados aos clientes.

Como é fazer logística no Brasil? Quais são as principais dificuldades? Como anda a logística brasileira?

Um desafio imenso, logística no Brasil não é barato, e não é simples. Temos um País continental, junto com isso vem uma enorme demanda e muitas oportunidades de desenvolver e ter soluções mais eficientes, baratas e inteligentes.

Por que a empresa se associou à Abralog?

Queremos nos aproximar dos principais players e referências de logística do Brasil e nada melhor do que pertencer a um grupo de associados focados nesse mercado. Acreditamos muito no poder do networking, queremos contribuir e poder se beneficiar desse ecossistema.

Como está sendo enfrentar a pandemia?

Desafiante, a crise antecipou vários processos de transformações da HandOver. Por estarmos no setor armazenamento, nossa demanda subiu e conseguimos crescer com novos clientes.

A empresa teve tempo de se preparar?

Uma startup precisa estar sempre pronta para se adaptar. Observamos a onda fora do Brasil e quando ela chegou aqui estávamos mais preparados.

Em quais condições está trabalhando?

Tornamos todo o trabalho remoto, com eventuais visitas aos clientes.

Como está a retomada? Como ela será?

A crise mostrou ao mercado a necessidade de soluções, como a nossa, que permitam que operações de logística sejam mais autônomas, e com menos contato, além de disponibilizar outras operações de entrega nas vendas, tanto do varejo físico quanto do online. Acreditamos que isso tende a crescer e favorecerá mais ainda o nosso setor.



Deixe uma resposta