Intermodal e Abralog realizam ‘live’ para discutir a logística do coronavírus

Especialistas em logística reunidos na quinta-feira, 16.4.2020, em webinar organizado pela Intermodal South America e Associação Brasileira de Logística (Abralog), para discutir a pandemia do coronavírus, chegaram a várias conclusões, entre elas:

– as empresas da cadeia de logística não aguentam, a persistir o atual cenário, mais que 3 meses;

– o home office ‘varreu’ as resistências que se tinha a respeito, e vai ter grande influência na vida corporativa, bem como vai afetar negativamente setores da economia;

– a colaboração em logística, tão sonhada e pouco praticada, parece ter decolado diante da crise de saúde;

– as autoridades mostraram um grande desconhecimento sobre o funcionamento da cadeia logística, interrompendo transporte público e restringindo o tráfego de caminhões, das cargas que não eram consideradas “essenciais”; e,

– a grande pergunta – quando será o pós-coronavírus? Essa, ninguém soube ir além de conjecturas: se durar mais um mês, ótimo, retomamos; em caso contrário, as dificuldades serão exponenciais.

Pedro Francisco Moreira, presidente da Abralog, que moderou a apresentação, disse que o legado deixado pelo momento mais difícil da história da logística brasileira é muito expressivo, e que vai exigir dos profissionais da área o exercício da adaptação e da resiliência. “Crise não é novidade para os logísticos, pois o dia da dia desses profissionais sempre tem contornos de crise. Somos otimistas por natureza e vamos vencer”.

Dividiu a apresentação com Moreira, um time de líderes logísticos: André Alarcon de Almeida Prado, CEO da BBM Logística; Fernando Gasparini, diretor-executivo de Supply Chain da Via Varejo; João Paes de Almeida, diretor de Supply Chain da Cargill para América do Sul; e Marcelo Arantes, diretor-executivo de Supply Chain do Grupo Pão de Açúcar.

Seguem trechos dos depoimentos dos participantes:


Marcelo Arantes, GPA – “A consolidação será a nova realidade no cenário da logística. A crise vai forçar a diminuição do número de empresas. Uma das mudanças mais certas será no estilo de trabalho – o formato tradicional, dentro da empresa, dará gradativamente lugar à execução de tarefas a distância, em home office. Isso vai conferir um novo patamar no âmbito dos profissionais… Fizemos o plano para o pior cenário possível. Se demorar até 45 dias, será mais rápido reerguer e sairemos rápido e mais fortes… Essa crise é diferente de todas as outras… A colaboração em logística sempre foi muito difícil. Desta vez, a colaboração mostrada pelos brasileiros foi impressionante… O varejo no Brasil a cada ano tem uma crise. Estamos aprendendo com ela. No momento está mais estável que em outras semanas, mas não sabemos até quando. Nosso planejamento agora é ontem, o hoje e o amanha”.

Fernando Gasparini, Via Varejo – Se já era clara essa tendência, os dias da pandemia mostraram: não há como fugir da automação e uso intenso da tecnologia, que já vinha sendo fundamental para ganho de eficiência e produtividade. Essa foi a única área na Via Varejo que não parou de contratar… Aprendemos muito. Montamos o Comitê de Crise, mas logo surgiu outro, o Comitê de Reinvenção. Surgiram boas idéias, como a de criar aplicativo e colocar nas mãos dos vendedores, como se estivessem nas lojas… É tempo de regular despesa. Só sai um real se o retorno for alto… Online é muito mais caro operar. A perda motivada pelo fechamento das lojas, fez também perder a escala da última milha, pois caiu o numero de entregas. O aumento do ticket médio das compras pelo e-commerce subiu e isso equilibrou de certa forma… A rotina do profissional de logística é a crise. Nós somos a crise em pessoa. Podemos nos orgulhar de estarmos sempre preparados para isso.

André Alarcon de Almeida Prado, BBM Logística – Autoridades brasileiras mostraram desconhecimento total sobre o funcionamento de uma cadeia logística, além de despreparo para agir. Interrompeu-se o transporte de pessoas que tinham de trabalhar, interromperam o tráfego de mercadorias que não fossem alimentos e remédios. Não adianta ter remédio sem embalagem… Sem logística o Brasil para… O lado humano nunca pode ser abandonado. A vida é um equilíbrio… A vida é mais importante, temos de defender o funcionário e sua família.

João Paes de Almeida, Cargill – O trabalho de todo mundo mudou. Mas a grande constatação é a de que tem de ser mais ágil, tem de ser mais digital… Esse não foi o home office que conhecíamos, ele nunca foi assim. Agora, todas as pessoas que trabalham numa casa estão juntas no mesmo ambiente… Houve aumento na produtividade, no nível de agilidade e de digitalização. Os valores, no entanto, não mudaram… A segurança continua em primeiro lugar, a segurança com nossos colaboradores, parceiros e clientes. Segurança é um gesto de carinho com quem está do nosso lado… Aprendemos demais com o que acontecia lá fora, no Exterior, e com os times internos.

A Intermodal South America, que organizou a live, é a maior feira de logística, transporte e comércio exterior da América do Sul, evento transferido para agosto em função da pandemia. Será nos dias 19, 20 e 21. No interior dela, a Abralog realizará a XXIII Conferência Nacional de Logística, que deveria ter ocorrido em março passado, em meio à Intermodal.



Deixe uma resposta