‘Live’ com moderação da Abralog encerra evento da revista e portal Logweb

A Expo Logweb W6connect – Feira e Congresso Virtual de Logística, fechou os grandes eventos do mês de setembro. Sua palestra de encerramento, na quinta-feira, 23.9.2021, reuniu especialistas para discutir uma espécie de tema-sintese de todo o encontro – “Panorama logístico: novo profissional, novas tecnologias, tendências e perspectivas”. Participaram Marcella Cunha, diretora-executiva da ABOL; Cassia Pereira, especialista em Supply Chain; Paulo Bertaglia, mentor de executivos, professor e diretor-executivo da Berthas, o consultor e professor Paulo Roberto Guedes, e Pedro Moreira, presidente da Abralog, que mediou o evento.

O e-commerce e a ominicanalidade na logística ganharam destaque nas opiniões dos painelistas. Marcella Cunha citou pesquisa da ABOL, antes da pandemia, na qual 25% das empresas ouvidas estavam se debruçando sobre o tema, e outros 28% tinham o comércio eletrônico e seus canais no planejamento. Ela acredita que esse número deva ter dobrado e que seguramente continuará em ritmo forte nos próximos anos. Pedro Moreira, citando o Comitê de E-commerce da Abralog, disse esperar que o comércio eletrônico em pouco tempo represente 25% de todas as vendas do comércio.

O consumidor do e-commerce, como acrescentou Paulo Bertaglia, foi empoderado pela pandemia, e gostou de ter conforto de compra em função da tecnologia. E lembrou da grande visibilidade que vem tendo a ‘last mile’, a perna final do comércio eletrônico. Temos de nos preocupar com todas as peças da cadeia, não apenas com a ‘last mile’ – propôs. O consultor Paulo Guedes acrescentou o fato de a logística ter início, meio e fim, e que o conjunto necessariamente tem de ficar sincronizado. Cássia Pereira chamou a atenção para o risco de as empresas não conseguirem se preparar para as novas tecnologias – se não otimizarem processos, afirmou, podem desaparecer.

Pessoas, no centro –
 As rápidas mudanças provocadas pela necessidade de uso imediato de novas tecnologias, foi outra preocupação demonstrada pelos debatedores. Paulo Guedes perguntou: se o Brasil tem sérios problemas de educação, como é que as empresas não vão ter, também? As pessoas sempre são esquecidas, registrou – e agora, mais do que nunca, é preciso treinar e fazer a adaptação dos colaboradores conforme a necessidade das empresas. Treinar é imperativo.

Cássia Pereira comentou que pessoas estão juntas com recursos e processos, com Paulo Bertaglia acrescentando a habilidade de relacionamento, como relevante, além dos treinamentos, que fornecem a destreza digital. É preciso, segundo Marcella Cunha, da ABOL, não esquecer que pessoas estão no cerne – e que neste momento terrível da pandemia, há que suprí-las nos aspectos de maturidade e equilíbrio emocional.

Esse é um papel do líder, deixou claro o mediador Pedro Moreira. A ele cabe também a responsabilidade de cuidar das pessoas – antes de tudo.

Neste link, você acompanha como foi o debate.

 

 



Deixe uma resposta