MadeiraMadeira vai às compras após virar unicórnio para reforçar logística

Para a MadeiraMadeira, marketplace de móveis fundado em 2009, a logística é o coração do negócio. A empresa está desde 2018 fazendo investimentos para melhorar a qualidade das suas entregas, afinal, não é fácil transportar sofás, mesas e guarda-roupas pelo País. Não é uma surpresa, então, que a primeira aquisição da história da companhia seja nessa área. Nesta quarta-feira, 9/6/2021, o unicórnio brasileiro anuncia ter comprado 100% da startup de logística iTrack Brasil. O valor da transação não foi divulgado.

A intenção de investir mais em logística já tinha sido revelada por Daniel Scandian, cofundador e presidente da MadeiraMadeira, quando a companhia anunciou a captação da sua série E, em janeiro deste ano. Na ocasião, a empresa foi avaliada em mais de US$ 1 bilhão, conquistando o título de unicórnio, em uma rodada de US$ 190 milhões liderada pelo SoftBank e pela Dynamo.

Em entrevista ao EXAME IN, Scandian afirma que a decisão de adquirir a iTrack surgiu a partir de uma parceria logística. Depois de seis meses usando os serviços de roteirização de entregas, rastreamento de pedidos e coletas da startup, a equipe da MadeiraMadeira percebeu que poderia alanvancar o desenvolvimento tecnológico da parceira, que não tinha investidores institucionais, com uma aquisição.

“Precisamos de pessoas que resolvam e tornem nossos problemas mais simples. No caso da iTrack, o santo bateu. Tivemos imediatamente uma empatia grande pela história deles e vimos uma oportunidade de acelerar o core do nosso negócio com pessoas que têm os mesmos valores que nós”, diz Scandian.

Fundada em 2017 por Daniel Drapac, a iTrack Brasil oferece serviços de inteligência logística e acesso a um marketplace com mais de 46.000 motoristas autônomos para cerca de 200 empresas brasileiras. Desde que foi fundada, a startup já ajudou a rastrear mais de 3,6 milhões de entregas. Em 2020, a companhia cresceu 42% e, para 2021, projeta alta de 60%.

Mesmo com aquisição, o fundador e os 20 funcionários da iTrack permanecem no negócio, que seguirá atendendo os demais clientes. “Esta operação é um reconhecimento de que estamos no caminho certo ao prover soluções que, de fato, resolvem problemas e aproximam a cadeia de suprimentos. Fazer parte do grupo MadeiraMadeira nos deixa muito animados para continuar a construir um futuro ainda mais promissor”, diz Drapac.

Dentro da MadeiraMadeira, a startup se junta à operação da Bulky Log, braço de logística do unicórnio. Criada em 2018 após problemas com uma transportadora parceira, a Bulky Log opera 14 centros de distribuição e um centro de fullfilment de 35.000 metros quadrados em Jundiaí, no interior de São Paulo.

“Com a iTrack, conseguimos economizar em diversas frentes. Uma roteirização bem feita gera uma economia de prazo e de custo na entrega. Além disso, centralizando tudo na startup conseguimos cortar gastos com soluções de terceiros”, diz o presidente da MadeiraMadeira.

Para os clientes, a grande vantagem é o aumento da qualidade do serviço, especialmente na parte de rastreamento do produto. “Saber que horas a entrega chega é importante para o consumidor, afinal, não dá para a portaria ficar com um sofá parado”, diz Scandian.

A MadeiraMadeira é uma das varejistas de comércio eletrônico que surfam a onda de digitalização trazida pela pandemia. Com os consumidores passando mais tempo em casa, as vendas do e-commerce dispararam no Brasil desde março de 2020. O faturamento do setor no ano passado cresceu 68%, ultrapassando 120 bilhões de reais, segundo a consultoria Neotrust/Compre & Confie. No setor de móveis, a alta foi ainda maior: 107%.

Aproveitando o bom momento e a captação milionária, a companhia segue investindo em expansão. Desde janeiro, foram abertas 33 lojas físicas da MadeiraMadeira no Brasil, passando de 9 para 42 unidades. No quadro de funcionários da empresa, 500 pessoas foram contratadas nos últimos cinco meses, somando 1.800 empregados. Segundo Scandian, os investimentos trouxeram resultados. No primeiro trimestre deste ano, a empresa teve alta de 93% no faturamento na comparação com o mesmo período do ano passado.

Na frente de aquisições, a iTrack foi só o começo. A MadeiraMadeira está com um time interno analisando possíveis transações nas áreas de logística, tecnologia, serviços e desenvolvimento de novas categorias de produto. “Queremos usar os M&As como ferramenta de aceleração. Não vamos comprar por comprar, temos consciência grande da importância e dos desafios desse tipo de transação, é como um casamento, precisa haver um ganha-ganha”, afirma o presidente. Fonte: EXAME



Deixe uma resposta