Mercado Livre cria locais para receber pacotes de vendedores

O Mercado Livre anunciou as mais recentes ações voltadas à melhoria de seus processos logísticos. São duas as estratégias, uma focada no Mercado Envios e outra na renovação do contrato junto à Azul Cargo Express.

O Mercado Envios, unidade de logística da empresa, apresenta agora o programa Places. Ainda em fase piloto e com foco na capital de São Paulo, o serviço viabiliza que locais habilitados pelo Mercado Livre recebam pacotes de vendedores do marketplace. Os produtos são retirados pela equipe de cross-docking da empresa, que dá seguimento ao envio para o consumidor.

O vice-presidente de Mercado Envios para a América Latina, Leandro Bassoi, explica que nesse projeto piloto são dez pontos habilitados, entre eles um próprio do Mercado Livre, no bairro da Vila Guilherme. “O objetivo é, até o final do ano, chegarmos a 300 pontos”, anuncia. A Kangu é a empresa contratada pelo Mercado Livre para o programa Places, tendo como função ser um agregador dos pontos físicos.

Renovação de contrato

A outra novidade divulgada por Bassoi é o novo acordo junto à Azul Cargo Express para entregas de encomendas via aérea em todo o Brasil. De acordo com o executivo, para o consumidor isso significa entregas mais rápidas, utilizando a malha logística do Mercado Livre e a da Azul, que cobre todo o território nacional, com 900 voos diários. “Por meio dessa parceria, temos a expectativa de atingir números altíssimos de entregas em tempo cada vez menor”, resume.

A empresa já trabalhava com a unidade de cargas da Azul desde o começo de 2019, e devido aos bons resultados o novo negócio comercial foi fechado entre as empresas. A partir de agora, a unidade de cargas da companhia aérea é a única a prestar serviços diretos de transporte aéreo para o Mercado Livre.

“Concluir esse acordo com o Mercado Livre é um primeiro grande passo dessa parceria de sucesso. Somente nesses primeiros meses, nosso novo parceiro já representa mais de 10% do nosso negócio e tem potencial para crescer ainda mais. Queremos construir juntos algo inédito no Brasil, que é realizar entregas em 24 horas em cidades distantes de um país com dimensões continentais como o nosso”, ressalta a diretora da unidade de cargas da Azul, Izabel Reis.

O comércio eletrônico é uma das apostas da Azul Cargo Express. Desde o ano passado, a receita sobre os serviços de e-commerce da empresa cresceu mais de 300%, percentual que exige esforços diários da empresa, segundo a executiva da Azul.  “Os clientes que compram pela internet são exigentes e querem que suas encomendas cheguem com segurança, integridade e, claro, rapidez. Para atender esse público, vamos trabalhar em conjunto com o Mercado Livre para garantir a entrega porta a porta em todas as cidades do país, um desafio que somente a Azul Cargo consegue realizar em tão pouco tempo, diante da extensa presença da Azul no país e com o apoio das 250 lojas da nossa unidade de cargas, que atendem mais de 3.500 municípios”, diz Izabel.

Os novos serviços chegam para reforçar os investimentos do Mercado Livre em logística. Isso porque este ano a companhia ampliou sua malha logística com a inauguração de um centro de distribuição de fulfillment em Cajamar (SP). A estrutura complementa um primeiro CD que já havia sido inaugurado há dois anos em Louveira (SP). Além desses pontos, a empresa conta com três centros de cross-docking no estado de São Paulo.

“Atualmente, cerca de 30% de todas as entregas são realizadas por meio dessa nossa malha logística. Há um ano, eram apenas 5%. Também estamos avançando no percentual de entregas em até dois dias. Atualmente, 60% das entregas feitas por fulfillment ocorrem nesse prazo”, aponta Bassoi.  Fonte: Tecnologistica



Deixe uma resposta