Dados AT&M: Movimentação de cargas registra aumento de 13% e chega a R$ 593 bilhões

Levantamento estatístico da Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp) mostra que o porto principal porto brasileiro de Santos, obteve crescimento de 19,8% em relação à movimentação registrada entre janeiro e setembro do ano passado. Até setembro, 2,8 milhões de toneladas entraram pelo porto. Já a movimentação de contêineres atingiu a marca de 3 milhões e o período, o fluxo de navios foi de 3.646, um aumento de 0,3% em relação aos três primeiros trimestres de 2017.

Esse cenário é consequência da demanda de mercadorias que circulam pelas rodovias brasileiras. Segundo dados da AT&M Tecnologia, líder no processo de averbação eletrônica para o transporte de cargas, em novembro de 2018 foram registrados R$ 593 bilhões em movimentação de cargas no país, sendo que no mesmo período do ano passado, R$ 451 bilhões foram registrados em movimentação de cargas. No período comparativo, houve aumento de 13%.

Depois das grandes perdas do período de recessão no período de 2014 a 2016, em 2017, o setor transportador registrou crescimento de 2,3% no volume de serviços e de 8,7% na receita nominal. Em 2018, o setor de transporte já mostra ainda mais força em sua recuperação.

Somente no primeiro semestre de 2018, foram registrados R$ 2,8 trilhões em movimentação de cargas no país, sendo que no mesmo período de 2017, o valor chegou a R$2 trilhões. No período comparativo, foi registrado um aumento de 40% em relação à movimentação de cargas, informa Vagner Toledo, sócio diretor da AT&M Tecnologia, que atende mais de 26 mil empresas, entre transportadoras, corretoras, seguradoras e embarcadores para o processo de averbação eletrônica das cargas no país. Em janeiro R$ 438,6 bilhões; Fevereiro R$ 444,8 bilhões; Março R$ 502,7 bilhões; Abril R$ 469,3 bilhões; Maio R$ 401,1 bilhões (auge da greve dos caminhoneiros);Junho R$ 522,1 bilhões (recuperação da greve dos caminhoneiros); Julho R$ 507 bilhões; Agosto R$ 504 bilhões; R$ Setembro 601 bilhões;Outubro R$ 578 bilhões.

Fundada em 1996 e com escritórios localizados nas cidades de São Paulo e Indaiatuba (SP), hoje a AT&M Tecnologia é uma empresa líder no processo de averbação eletrônica do seguro da carga. Por mês, a AT&M transmite mais de 80 milhões de documentos de seguros e possibilitando a troca de informações entre transportadoras, corretores, embarcadores e companhias de seguro. É responsável pela quase totalidade das companhias de seguros que atuam no segmento de transporte de cargas e em torno de 800 corretores. Detém em torno de 95% do mercado de sistemas e serviços para a averbação do seguro de transporte de carga.

Há muitos anos, o processo de averbação das cargas no Brasil era feito manualmente. “As pessoas faziam o cálculo das cargas para o seguro, separando por origem e destino e enviavam cópias e conhecimento de transporte das guias de transportes para as seguradoras calcularem o valor dos prêmios dos seguros. Por meio da tecnologia EDI, da época, criamos uma base para o processo de averbação eletrônica no país, de forma inédita”, explica Flademir Lausino de Almeida. Há mais de 22 anos, a AT&M inovou o mercado com a criação do processo de averbação eletrônica.

Atualmente utilizando tecnologias de ponta como BigData, API Server em ambiente redundante escalável de alta disponibilidade, oferece ao mercado uma solução sólida e altamente confiável. A transportadora quando emite os CT-es (conhecimentos de transporte) e o embarcador quanto NF-e (Nota fiscal eletrônica), essas informações ficam registradas no sistema da Secretaria da Fazenda (SEFAZ) de cada estado. Desta forma, o SEFAZ responde positivamente através de um protocolo que significa a liberação fiscal da mercadoria. Depois, para o transporte adequado da carga de forma segura, as transportadoras e embarcadores precisam averbar suas cargas, que significa coletar todas essas informações, checar para saber se os dados da carga estão coerentes com a apólice do seguro do cliente e transmitir essa informação por meio de avançados sistemas de tecnologia para a companhia de seguro.



Deixe uma resposta