quarta-feira, 19/06/2024

ASSOCIE-SE

No Dia da Logística, Abralog oficializa núcleo humanitário e muda categorias de seu prêmio

A Abralog comemorou na quinta-feira 6 de junho de 2024 o Dia da Logística, data em que o presidente da entidade, Pedro Moreira, anunciou oficialmente que a Associação Brasileira de Logística vai instalar núcleo para apoio técnico a desastres naturais, ideia surgida há um mês, durante o início das cheias no Rio Grande do Sul.

“Pensamos em um movimento nacional pela Logística Humanitária, que a Abralog pretende tocar com seus associados e a parceria de empresas e organismos privados e governamentais, que já atuam nessas situações de emergência”, explicou. A Abralog está buscando parcerias estratégicas, entre elas a Ateha, empresa especializada em soluções para desafios ambientais.

Em seu discurso Moreira destacou a mobilização exemplar das empresas associadas, que ofereceram centros de distribuição como hubs logísticos, transportaram toneladas de água, disponibilizaram barcos para resgates e doaram centenas de milhares de peças de vestuário. Ele pediu que os presentes fizessem sua doações para o Rio Grade do Sul, pois meio de um QR Code colocado em cada uma das mesas da solenidade.

II Semana ESG Abralog

O presidente da Abralog falou também da II Semana ESG Abralog, de 14 a 17 de outubro, em São Paulo. Segundo ele, a Associação está comprometida em tornar a logística brasileira protagonista dos pilares ambiental, social e de governança. O evento tem o objetivo de acelerar os esforços das empresas rumo à adoção de práticas sustentáveis, promovendo uma mudança cultural e estrutural no setor.

Moreira enfatizou que a sustentabilidade não é mais uma opção, mas uma necessidade imperativa. Empresas estão integrando o ESG em suas operações globais, reconhecendo os benefícios tangíveis dessa jornada, desde a atração e retenção de talentos até a redução de custos e a estabilidade financeira.

Para terminar sua fala, acrescentou: “Juntos, podemos elevar a logística brasileira a novos patamares, tornando-a protagonista de um mundo mais justo, mais verde e mais próspero. Essa é nossa missão, esse é nosso legado”.

80 anos e mudanças no Prêmio Abralog

A data dos logísticos de 2024 marcou 80 anos do Dia D, a invasão aliada na Costa da Normandia, França, episódio que acelerou o final da II Guerra Mundial e serviu de inspiração para a criação da data magna da logística brasileira. O projeto de lei foi apresentado pelo deputado federal Julio Lopes, do Rio de Janeiro, e a promulgação da lei, que recebeu o número 14.329, ocorreu no dia 4 de maio de 2022.

Haverá também novidades no Prêmio Abralog de Logística, que neste ano chega a vigésima-primeira edição. Algumas categorias vão receber atividades logísticas como forma de alargar as possibilidades de inscrição de cases, como expôs o presidente da Banca Julgadora, professor-doutor Hugo Yoshizaki, da Politécnica da USP. (Veja nesta mesma página).

A comemoração dos logísticos ocorreu como de costume na Federação das Indústrias do Estado de São Paulo, a FIESP. Com lotação plena, o evento foi aberto com fala da nossa sócia-apoiadora Informa Markets, de quem a Abralog é seu braço de conteúdo logístico, sendo responsável pela organização da Conferência Nacional de Logística, a CNL, realizada durante a intermodal no Interlog Summit, ao lado do Congresso Intermodal.

Hermano Pinto Júnior, diretor de Portfólio da Informa Markets, deu as boas-vindas como anfitrião do Dia da Logística. Lembrou que a história da Informa tem raízes no Lloyd’s List, uma publicação de transporte marítimo que começou em 1734. Atualmente, a companhia realiza mais de 550 eventos em mais de 40 países, incluindo logística, energia, tecnologia, construção e varejo. No Brasil, a empresa organiza mais de 20 exposições, entre elas a Intermodal, que em 2025 será realizada em um novo local, o Distrito Anhembi, com infraestrutura modernizada, de 22 a 24 de abril.

Espera-se a participação de mais de 500 marcas e 44.000 visitantes, além da 28ª Conferência Nacional de Logística e do 3º Congresso Intermodal, com mais de 600 congressistas e 30 horas de conteúdo. Ele também destacou as vantagens logísticas e de infraestrutura do novo local, incluindo fácil acesso a aeroportos, rodovias, hotéis e restaurantes, além de transporte gratuito para visitantes.

Na sequência falou Valter Luiz de Souza, diretor de Relações Institucionais da CNT, que completa 70 anos neste 19 de junho de 2024. Com a missão de integrar todos os setores de logística e transporte, ela é o guarda-chuva que abriga 56 entidades, de federações e sindicatos a associações de classe, como a Abralog.

Para Valter Luiz de Souza há preocupações em relação à infraestrutura rodoviária brasileira, que cresceu apenas 1,5% em dez anos, enquanto a frota de caminhões aumentou 51%, o que gerou estradas congestionadas, como na BR-101 e na BR-040. Souza mencionou também a perda de 5% de participação ferroviária para as rodovias, que agora representam 65% do transporte nacional. Ele enfatizou a necessidade de união no setor para aumentar os investimentos em transporte, que historicamente são baixos, representando apenas 0,3% do PIB. E criticou a recente redução de 3 bilhões de reais no investimento em logística pelo governo, sublinhando a importância de trabalhar junto ao Congresso para reverter essa decisão.

Hugo Yoshizaki, conselheiro e coordenador do Prêmio Abralog de Logística, anunciou mudanças na 21ª edição do prêmio, com as seguintes categorias:
Automação, Tecnologia da Informação, e Novas Tecnologias; Sistemas de Movimentação Armazenagem e Embalagem; Logística 4.0, Tecnologias Disruptivas e E-business; Multimodalidade, Infraestrutura, Terminais e Condomínios Logísticos; Colaboração e Parcerias em Logística; ESG, Descarbonização e Transição Energética em Logística; Estudante de Logística.

As novidades foram a inclusão da infraestrutura, terminais e condomínios logísticos na Categoria Multimodalidade, além de projetos de descarbonização e transição energética na Categoria ESG.

Lembranças, desafios, sonhos e análises de logísticos, no Dia da Logística

A Abralog convidou oito logísticos para falarem sobre a data. Seguem os depoimentos:

André Prado, CEO da EMIVE e vice-presidente de Operadores Logísticos da Abralog, destacou a importância do ESG na logística. Ele enfatizou a necessidade de enfrentar os desafios ambientais, mencionando que os eventos climáticos recentes, como as enchentes em Porto Alegre, são sinais claros de uma conta ambiental a ser paga, herdada de gerações passadas. No aspecto social, Prado ressaltou a impressionante mobilização de ajuda às vítimas das enchentes, exemplificada pela dedicação de sua secretária, que conseguiu enviar três carretas de doações ao Rio Grande do Sul. Quanto à governança, ele compartilhou sua experiência de uma década implementando boas práticas empresariais, sublinhando a dificuldade e a importância de mudar a cultura organizacional. Prado conclamou tanto a iniciativa privada quanto a pública a refletirem sobre o uso eficiente de recursos e a contribuição real para a sociedade, diante das exigências impostas pela natureza e pelo contexto social.

Fernando Gasparini, diretor-executivo de Supply Chain do Grupo Casas Bahia, destacou a resposta rápida da empresa às enchentes no Rio Grande do Sul, colaborando com os Correios para operar um centro de distribuição de 5.000 metros quadrados destinado a montar kits de assistência. Ele ressaltou a importância da logística como pilar central para a competitividade, sustentabilidade e resiliência do negócio, especialmente no varejo nacional. Gasparini parabenizou a todos pelo Dia da Logística, reconhecendo a importância da resiliência no setor.

Viviane Salyna, sócia fundadora da Ekantika, refletiu sobre sua trajetória na logística e supply chain, destacando a constante sensação de desatualização devido à rápida evolução tecnológica e regulatória. Ela comentou sobre a vasta quantidade de startups no Brasil, com 52% focadas em logística, e a dificuldade de aplicar soluções inovadoras em um cenário em constante mudança. Viviane mencionou a transformação dos desafios logísticos, desde a entrega ao consumidor final até a adaptação ao e-commerce e omnichannel, exacerbados pela pandemia e pela crescente demanda por entregas mais rápidas e de baixo custo. Ela ressaltou a paixão do setor por enfrentar complexidades e a necessidade de adaptação contínua, parabenizando os profissionais pela resiliência e inovação em um ambiente em constante evolução.

Marco Tenaini, diretor de Logística e Distribuição do Grupo Pão de Açúcar e membro do Conselho Estratégico ESG da Abralog, destacou a contribuição do GPA na arrecadação de mais de 70 toneladas de alimentos para o Sul do Brasil, ressaltando o engajamento dos clientes e a solidariedade do povo brasileiro. Ele mencionou a importância da logística no PIB brasileiro, representando de 11 a 13%, e os desafios como a escassez de mão de obra, especialmente de motoristas, que vem diminuindo a uma taxa de 1,7% ao ano. Tenani celebrou a diversidade no setor, com 40% de líderes mulheres na logística do GPA. Ele também apontou para o futuro da logística, enfatizando a crescente importância da inteligência artificial e machine learning, ilustrando isso com um exemplo de uma apresentação feita em pouco mais de cinco minutos usando a IA, ressaltando como essas tecnologias estão moldando o setor.

Patrícia Fiore, sócia da Dessimoni e Blanco Advogados, destacou com entusiasmo o crescente papel das mulheres no setor de logística, enfatizando sua crescente participação em cursos técnicos e superiores como Engenharia da Produção e Supply Chain. Ela ressaltou as habilidades distintivas das mulheres, como organização, atenção aos detalhes, resolução de conflitos e trabalho em equipe, que contribuem significativamente para a inovação e eficiência do setor. Patrícia também elogiou as políticas de diversidade e inclusão das empresas, que promovem a presença feminina baseada em talento e competência. Apesar dos desafios, como preconceito de gênero e diferença salarial, ela expressou otimismo com o progresso já feito e agradeceu à Abralog por seu apoio contínuo às mudanças exigidas pelo mercado.

Guilherme Melo, presidente da MRS Logística, ressaltou a importância do Dia da Logística, lembrando a eficácia da logística no Dia D e vinculando essa capacidade à necessidade de apoio às áreas afetadas pela tragédia no Sul do Brasil. Ele destacou que a MRS Logística, operando nas ferrovias de carga em Minas Gerais e São Paulo, emprega 7.000 colaboradores, incluindo 1.500 maquinistas. Melo sublinhou o aumento significativo na diversidade de gênero, celebrando a presença de mais de 1.000 mulheres na empresa, que representam 14% do quadro e 42% das posições de liderança e coordenação. Desde 1996, a MRS cresceu de 112 para mais de 1.000 colaboradoras. A empresa, que começou como concessão pública, agora fatura R$ 7 bilhões anuais, com forte atuação na multimodalidade e transportando uma variedade de produtos, desde minério de carvão até soja e material siderúrgico. Melo enfatizou o compromisso da MRS em aumentar a eficiência e expandir o transporte de carga geral, incluindo testes com produtos perecíveis.

Alessandra Di Sicco, Gerente Nacional de Agronegócio da Senior, expressou sua alegria ao ver a crescente presença feminina na logística, destacando um aumento de 250% nos cargos ocupados por mulheres entre 2021 e 2023. Alessandra enfatizou a importância da logística no setor agropecuário, essencial para transportar produtos do campo até a mesa dos consumidores. Ela destacou a complexidade e a importância das operações logísticas, que muitas vezes enfrentam desafios significativos, como as recentes ações de socorro no Rio Grande do Sul. E ressaltou que a logística é fundamental para todos os setores da economia e que o sucesso de cada entrega depende da dedicação dos profissionais logísticos. Finalizou lembrando que cada entrega é um elo vital que conecta o campo, a indústria e o consumidor, celebrando a dedicação incansável dos profissionais do setor.

Beto Zampini Jr, CEO da Imediato Nexway, encerrou as falas. Falou de sua paixão pela logística, lembrando a influência de seu pai, Roberto Zampini, fundador da empresa, que está no setor há mais de 50 anos. E compartilhou suas reflexões sobre a natureza dinâmica e desafiadora da logística, em que o planejamento detalhado muitas vezes é testado por imprevistos, exigindo resiliência e inovação. Deu muita ênfase ao espírito de servir, que, segundo ele, distingue os profissionais da logística de outros setores, especialmente em momentos críticos como a recente tragédia no Rio Grande do Sul. “A combinação de espírito de serviço e paixão é a essência do sucesso na logística”, ensinou.

Quem mais faz pela logística no Brasil

A cerimônia foi encerrada com homenagem da Abralog aos 70 anos da CNT, que se completam agora neste 19 de junho de 2024. Valter Luiz de Souza, Diretor de Relações Institucionais da entidade, recebeu a homenagem uma placa com os dizeres:

“A Associação Brasileira de Logística homenageia a Confederação Nacional do Transporte, que neste 2024 comemora sete décadas de fundação. Trata-se de data que precisa ser comemorada por todo o Brasil, e isso é uma reverência à entidade que mais faz pelo transporte e logística do País”.

Fotos: Rafael Luvizetto

Abralog faz bem para sua logística.

Matérias Relacionadas

Abralog nas Redes

Últimas Matérias