Nova concessão fará Dutra a melhor do País; e pedágio vai ser 20% menor

A nova concessão da Via Dutra, a mais famosa rodovia do País, terá leilão ainda este ano – e se tornará, então, a melhor do Brasil, segundo disse hoje, 13/2/2020, o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, que prevê um pedágio 20% mais barato e uma estrada com lâmpadas de LED, câmeras a cada 500 metros e 40 quilômetros de marginais para desafogar o tráfego intenso, como em Guarulhos, na chegada a São Paulo. Será, também, a maior concessão rodoviária já feita no País.

Atualmente, o valor total para ir de uma capital a outra está em cerca de R$ 60 e deve ficar, segundo a estimativa, abaixo de R$ 50. “Vai pagar menos tarifa do que paga hoje, tendo muito mais investimentos”, ressaltou o ministro ao fazer uma apresentação do projeto na Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp).

De acordo com o ministro, a disputa pela administração da via será feita a partir de uma combinação entre a oferta de menor tarifa e o pagamento de outorga pela concessão. A ideia é que as empresas não reduzam demais o preço do pedágio e depois fiquem sem caixa para a administração da estrada.

“No leilão, vamos estabelecer um patamar de desconto. Na competição, a tarifa vai baixar ainda mais [do que 20%]. E a partir do momento em que atingimos um teto, mudamos para outorga, porque é uma maneira de preservar o caixa e garantir que, de fato, o investimento vai ser feito”, explicou.

Quem levar tem de duplicar a Rio-Santos – Estão previstos R$ 32 bilhões de investimentos para manutenção e melhorias na rodovia. A concessão deve englobar ainda a rodovia Rio-Santos. Segundo Freitas, a intenção é viabilizar obras na rodovia litorânea, que, se fosse  concedida sozinha, não teria sustentabilidade econômica. “A maneira que encontramos de fazer investimentos na Rio-Santos foi através da Dutra”, justificou o ministro. A concessão hoje é da CCR, e ela vence em 2021.

A ideia é que as empresas não reduzam demais o preço do pedágio e depois fiquem sem caixa para a administração da estrada. “No leilão, vamos estabelecer um patamar de desconto. Na competição, a tarifa vai baixar ainda mais [do que 20%]. E a partir do momento em que atingimos um teto, mudamos para outorga, porque é uma maneira de preservar o caixa e garantir que, de fato, o investimento vai ser feito”, explicou.

Free Flow em Guarulhos – Entre os pontos controversos da proposta está a cobrança de pedágio no trecho entre São Paulo e Guarulhos, município da região metropolitana com o principal aeroporto Grande São Paulo.

Hoje, o percurso entre Guarulhos e São Paulo é de 37 minutos. Com a implantação do free flow, esse tempo deverá cair para 22 minutos. Será a primeira vez que o modelo free flow será usado no Brasil. A estimativa é que a tarifa para trafegar entre as duas cidades vai custar  R$0,15 por quilômetro, ou seja, R$1,90 pelo percurso. O tráfego pelas vias marginais, no entanto, poderá ser feito de forma gratuita.
A Dutra possui 402 km de extensão e cruza 34 municípios da região Sudeste. Foto Dutra, Marcelo Carmargo, Agência Brasil; Foto Fiesp, Divulgação.

 



Deixe uma resposta