Porto de Santos prevê aumento de 2,5% na movimentação de cargas

O Porto de Santos, no litoral de São Paulo, celebrou o aniversário de 127 anos, no último sábado (2), com a expectativa de aumentar em 2,5% a movimentação de cargas em 2019. A projeção acompanha o otimismo do complexo marítimo após os resultados obtidos ao longo do ano de 2018.

Ao todo, são esperadas que 136,4 milhões de toneladas em cargas passem pelo cais. No último ano, segundo projeção divulgada pela Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp), o porto teve 133,1 milhões de toneladas em movimentação – número também 2,5% maior que 2017.

Entre os produtos mais movimentados nos últimos 12 meses estão a soja a granel (20,58 milhões de toneladas), acompanhado do açúcar (15,06 milhões), milho (12,66 milhões), celulose (4,65 milhões) e sucos cítricos (2,38 milhões). Estes dois últimos tiverem recorde histórico anual.

Além disso, o complexo portuário também foi recordista em desembarques: 38,82 milhões de toneladas, 6,9% maior que 2017. O índice mais estável em relação a 2017 foi o de atracações: em dezembro do último ano, foram 418, ante 410 do mesmo mês do ano anterior.

Privatização

O complexo completa mais um ano em meio à polêmica quanto à privatização da Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp), a administradora do cais. Eleito governador do Estado, João Doria (PSDB) não esconde e até defende o desejo do repasse do porto à iniciativa privada.

Entretanto, o Governo Federal diz não ter planos de privatizar o complexo marítimo. Segundo o Ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, o assunto, a princípio, não está em pauta. “

Ferroanel

Enquanto isso, o Governo do Estado trabalha para a construção do trecho norte do Ferroanel, ramal ferroviário de 53 Km de extensão que permitirá a movimentação de cargas do interior paulista até o porto. Espera-se que cerca de 2,8 mil caminhões saiam das estradas, diariamente.

“Em março, a expectativa é de que possamos anunciar a data do início da obra, mas com certeza absoluta terá início neste ano. O prazo de execução é de 48 meses, a contar com o investimento”, disse João Doria após a assinatura do protocolo de intenções com o Ministério da Infraestrutura para viabilizar a concessão ferroviária. Com informações do portal G1



Deixe uma resposta