Rastreador Autotrac avisa trechos com elevado risco de acidentes

A partir de dezembro, os rastreadores da Autotrac alertarão o motorista quando o caminhão ou ônibus se aproximar de trechos de rodovias com alto índice de acidentes. O alerta será feito por meio de mensagem de voz. Por meio do recurso, batizado de  “rotograma falado”, o dispositivo recomenda que o condutor redobre a atenção e reduza a velocidade.

A iniciativa é fruto de parceria da Confederação Nacional do Transporte (CNT) com a fabricante de rastreadores. A CNT fornecerá à Autotrac um mapa mostrando os 100 pontos mais críticos das rodovias do Brasil. Os critérios para determinar os locais mais perigosos incluem registros de acidentes com vítimas envolvendo caminhão.

A pedido do Estradão, a CNT informou a localização de alguns pontos críticos em rodovias no Estado de São Paulo. É o caso do trecho entre os quilômetros 36 e 46 da Rodovia Fernão Dias, perto de Atibaia. E do quilômetro 208 ao 218 da Rodovia Presidente Dutra, na região de Guarulhos.

Dos 55.756 acidentes com vítimas registrados em estradas federais em 2019, em 16% (quase 9 mil) havia ao menos um caminhão envolvido. Os dados são do Painel CNT de Consultas de Acidentes Rodoviários e foram obtidos com a Polícia Rodoviária Federal.

Rastreador Autotrac parte de R$ 2 mil

Os donos de caminhões que já têm rastreador da Autotrac não precisarão gastar nada a mais para ter o serviço. Diretor de Marketing da empresa, Márcio Toscano diz que todos os equipamentos serão atualizados automaticamente. De acordo com ele, o cliente nem sequer precisar solicitar que isso seja feito.

Os aparelhos novos serão vendidos já com o software atualizado. “Ao comprar o rastreador com as atuais funcionalidades,  como telemetria e gerenciamento de risco, o cliente ganhará o rotograma falado com os dados da CNT”, afirma Toscano. Os equipamentos custam de R$ 2 mil a R$ 5 mil, dependendo do modelo e dos recursos ativados. Fonte: Aline Feltrin, Estadão. Foto: Divulgação



Deixe uma resposta