Região Sudeste é campeã em roubos de cargas em 2018

Segundo a Associação Nacional do Transporte de Cargas e Logística (NTC & Logística), em 2018 foram registrados 22.183 ocorrências de roubos de carga pelo país, sendo que no ano anterior essa soma chegou a 25.970 casos. O ano passado mostra uma queda de mais de 3 mil incidentes, cerca de 15%, com relação a 2017. E também é um número menor registrado em comparação com 2016, que apontou 24.550. Mesmo assim, ainda é uma quantidade muito alta de episódios, avalia a NTC.

Nesse cenário, a região Sudeste é a mais afetada, arcando com 84,79% das ocorrências. Em seguida, aparece a região Nordeste, com 6,43%; Sul, com 5,69%; Centro-oeste, 2,34%; e por último a região Norte, com 0,75%. Na região Sudeste,  o campeão de incidentes é o Rio de Janeiro, onde os registros chegaram a 41,39%, seguido por São Paulo, 39,39%. Juntamente com Espírito Santo e Minas Gerais, amargam um total de R$ 937,76 milhões de prejuízo. Logo depois aparece a região Norte, com R$ 238,96 milhões; Sul, com R$ 152,13 milhões; Centro-oeste, com R$ 108,03 milhões; e Norte, atingindo R$ 36,25 milhões.

O Brasil é o país que possui a maior concentração rodoviária de transporte de cargas dentre as principais economias do mundo. A malha rodoviária concentra 61% do escoamento da produção do país. Quase tudo que é produzido aqui viaja pelas estradas brasileiras para chegar a seu destino. A pesquisa apontou que em 2018 foram computados  R$ 1,47 bilhão em prejuízos para o setor. Segundo Vagner Toledo, CEO da AT&M, empresa líder no processo de averbação para o transporte de cargas, além de investimentos para a melhoria da malha rodoviária e segurança, é fundamental e obrigatório que os embarcadores e transportadoras realizem a averbação do seguro da carga no ato da viagem, em todos os modais.

A averbação eletrônica de cargas é um dos processos mais importantes para que todas as mercadorias cheguem em segurança ao seu destino, em todo o país, isso inclui também o seguro obrigatório de responsabilidade civil para evitar prejuízos em caso de acidentes, além da liberação da mercadoria em relação a impostos. Esse processo de registrar a movimentação, análise e verificação da mercadoria é conhecida como “averbação eletrônica”, ou seja, toda carga precisa estar devidamente assegurada com uma seguradora e corretora.

Os transportadores e embarcadores ao adquirirem os serviços de averbação eletrônica de cargas têm como objetivo cumprir as resoluções impostas por órgãos regulamentadores e fiscalizadores como SUSEP, ANTT e outros. Hoje este processo é obrigatório para todas as cargas movimentadas no país. O caminhão não deve iniciar a viagem, antes de averbar devidamente os documentos. As averbações que não são realizadas de forma correta, com qualidade e segurança, o resultado será prejuízo operacional com a logística, ou seja, caminhões podem ser proibidos de trafegar pelos órgãos fiscalizadores, prazos junto aos clientes deixarão de ser cumpridos e caso ocorram acidentes ou roubos das mercadorias, a carga de um determinado transporte que SUS|EPnão foi averbada não estará devidamente assegurada, podendo obter até mesmo uma recusa no processo de sinistro.



Deixe uma resposta