JSL compra 75% da empresa de logística Fadel por R$ 159,4 milhões

A JSL assinou contrato para compra de 75% das ações da empresa de logística Fadel, pelo preço de R$ 159,4 milhões, sendo metade paga à vista e a outra metade em 6 meses. A JSL disse ainda que o preço poderá ser aumentado em R$ 13,7 milhões caso a Fadel atinja determinadas metas neste ano.

A Translag, transportadora atuante nas regiões Centro-Oeste, Sudeste e parte da região Nordeste com carga lotação e carga fracionada, foi adquirida pela BBM Logística. Em fato relevante, a compra teria sido finalizada nesta quarta-feira, mas as empresas ainda não informaram o valor da transação.

“A companhia entende que a aquisição da Fadel está alinhada com a estratégia de crescimento, diversificação e consolidação da maior e mais integrada plataforma de serviços logísticos no Brasil”, diz a JSL em comunicado sobre a transação.

Ao adquirir a Translag, a BBM Logística, que oferece soluções em transporte e logística no Brasil e Mercosul, expande sua área de atuação no País. A estratégia de se consolidar e crescer firmando parcerias e aquisições já havia sido anunciada pelos gestores da BBM em entrevistas a MundoLogística. A empresa, inclusive, anunciou na última semana uma alta no seu faturamento, crescimento que se deu apesar dos impactos da pandemia pelo mundo.

Fundada em 2001, a Fadel atua no Brasil e no Paraguai prestando serviços de distribuição urbana, logística dedicada de cargas rodoviárias e logística interna.

A empresa atua nos setores de bebida, alimentos, bens de consumo e iniciou atividades no comércio eletrônico, contando com uma frota de mais de 1.600 ativos operacionais próprios (entre caminhões, cavalos mecânicos, carretas e veículos comerciais leves).

Em 2019, a Fadel apresentou receita líquida de R$ 372 milhões, Ebitda (sigla em inglês para lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) de R$ 60 milhões, lucro líquido de R$ 31 milhões e um índice de alavancagem de 2,2 vezes.

A JSL terá o direito de adquirir, a partir do terceiro ano, e o atual sócio da Fadel terá o direito de vender à JSL, a partir do quinto ano, a participação remanescente do capital da companhia.

Foto: Divulgação



Deixe uma resposta