E-commerce aquece galpões logísticos, que são importantes para ‘last mile’

Em três meses de pandemia, o e-commerce viu seu volume de negócios disparar, levando junto o segmento de condomínios logísticos, que nos últimos anos tem tido como principais clientes, exatamente empresas de e-commerce. O grande fator para o sucesso da venda pela internet – e também do custo dessa entrega – está na last mile, a perna final do trajeto até o cliente comprador. Last mile bem feita, garantem especialistas, também depende de um bom galpão logístico – e, principalmente, de sua localização. São diferenciais valiosos – veja o anúncio acima lembrando tudo isso.

Muitos galpões são hoje usados pelo e-commerce como Centros de Distribuição, na chamada armazenagem de passagem, o crossdocking – os itens desses CDs são enviados direto para o comprador, depois de conferidos, separados e reembalados. Operações de crossdocking usam docas em laterais opostas – um lado recebe e o outro expede, após o manuseio.

Disparada – Em março, o crescimento das vendas eletrônicas foi de 32,6% (houve apenas 15 dias de isolamento), e em abril o salto foi maior: 81% em relação ao mesmo período de 2019, segundo dados da Compre&Confie e da Associação Brasileira de Comércio Eletrônico. Agora neste 12 de junho de 2020, Dia dos Namorados, a previsão é de mais 18% de aumento no número de vendas.

Essas mesmas fontes revelam que as vendas digitais de produtos ligados à saúde subiram 111%, e os de perfumaria, 83%, Os supermercados também bombaram, com 80% de crescimento.

Pelo lado de quem tem os galpões logísticos, os números também são altos como os do comércio eletrônico. Mauro Dias, presidente da GLP Brasil, sócia-apoiadora da Abralog, e uma empresa de empreendimentos voltados para a logística, destaca que a rápida expansão do setor nos últimos anos tem liderado a procura por condomínios logísticos.

Segundo ele, de 2017 para cá, as vendas pela internet dobraram sua participação na carteira de imóveis da GLP. Hoje, 40% do total de suas locações no Brasil são de operações relacionadas ao comércio eletrônico, conta Mauro Dias.

Localização – A receita de um bom galpão logístico, segundo os especialistas, contempla lista que inclui: pé-direito de 12 metros, pisos resistentes, iluminação natural e de Led, pátios para manobra, docas bem projetadas, e o principal – localização perto de rodovias e de centros urbanos, por causa da last mile.



Deixe uma resposta