Em nome da vida, Brasil precisa de um grande pacto nacional

A Associação Brasileira de Logística acredita que a pandemia do coronavírus, a maior crise já enfrentada pelo Brasil, necessita, enquanto há tempo, de um amplo e irrestrito pacto nacional.

Um grande acordo para que se possa salvar e preservar vidas, ao mesmo tempo em que devemos todos nos preocupar com a economia e os empregos, que são outros doentes desse mesmo flagelo.

Não faz sentido o espetáculo diário das confrontações nacionais, como as que se vê entre Legislativo, Executivo e meios de Comunicação.

A crise, daqui a pouco, vai dar sinais de não ser apenas um problema de saúde, mas, também, uma questão de economia e sobrevivência de partes expressivas da população.

Em situações extremas como essa, é preciso que todos colaborem, que tenham uma disposição mínima de coesão, e que carreguem um objetivo inabalável, que é o de conseguir, juntos, sair do outro lado, sãos e salvos.

A Abralog tem como uma de suas missões colaborar e ajudar os governos e a sociedade em questões referentes à natureza do trabalho que ela desenvolve. É o que sempre fez e o que está fazendo agora.

Estamos no epicentro de um setor que representa 12% do PIB brasileiro, que ajuda o País a ir e vir. Os associados da Abralog cobrem toda a extensão desse segmento, de fornecedores de insumos aos produtos acabados, entregues por terra, mar ou ar. Temos, portanto, uma visão geral, que queremos compartilhar.

A Abralog clama pela pacificação dos espíritos e pelo fiel cumprimento das instruções sanitárias definidas em nível mundial. Temos de salvar vidas, temos de salvar a economia, pois a vida também depende da economia. Mas isso num grande mutirão de fé, paz e solidariedade.



1 comentário

  • Concordando com a ABRALOG e complementando, precisamos todos de equilíbrio e criatividade para transpor esse momento. Sabemos que somos resilientes, mas sejamos lúcidos e solidários. O Brasil e nosso povo merece e espera isso das nossas lideranças. Coragem e fé para todos nós!

Deixe uma resposta