Tirol associa-se à Abralog. Empresa quer a liderança do setor e logística é o caminho

Aos 45 anos, a Lacticínios Tirol, que acaba de se filiar à Abralog, possui um dos maiores portfólios do setor lácteo nacional e está em busca da liderança no setor. Nessa trajetória, sabe que a logística é mais que fundamental e é nela que a empresa investe para conquistar o objetivo. Sandro Galego Salgado, gerente de Logística da empresa, fundada em 1974 em Treze Tílias (SC), conta nesta entrevista o que é a Tirol, o que ela pensa da logística brasileira e como está organizada.

Como a Tirol encara a logística?
A Tirol vem encarando a logística nos últimos anos como um diferencial competitivo e sabe da importância que esta área tem na conquista de resultados melhores. O fluxo logístico da Tirol é muito grande, pois contempla desde a captação do leite no campo até a entrega ao cliente final. Nele, o foco é enorme em otimização de cargas e agilidade nas entregas, para sempre buscar o menor custo, garantir a produção com qualidade e também, garantir a excelência na prestação de serviço ao cliente. Esse cuidado é extremamente importante, ainda mais pelo tipo de produto com que a empresa trabalha – muito sensível e que requer um controle de qualidade rigoroso no transporte, processo de movimentação e armazenamento.

E a logística brasileira?
Infelizmente, a logística brasileira possui muitos gargalos e vem ao longo dos anos sendo afetada pela falta de investimentos adequados e ainda por sobrecarga no modal rodoviário, que encarece os custos e torna as empresas reféns da sua disponibilidade em determinados períodos de sazonalidade, ou alta safra.

Faz falta a multimodalidade…
Muito. O Brasil tem dimensões continentais e poderia ter investido mais em outros modais como ferrovias, hidrovias e a cabotagem, pois assim conseguiria ter um maior equilíbrio no atendimento da demanda nacional.

Os custos prejudicam muito os resultados da Tirol?
Para a Tirol, os altos custos de transporte impactam diretamente nos resultados, já que o preço do produto não acompanha esta variação que vem ocorrendo nos últimos anos, principalmente pelo aumento constante dos combustíveis. A infraestrutura rodoviária é outro fator que atrapalha em relação aos prazos, e acidentes, mas há também os roubos de carga, que afetam o atendimento aos clientes, além de elevar o custo do seguro.

Por que a Tirol se associou a Abralog?
Nos associamos pela busca de mais conhecimento e benchmarking com empresas-referência, para que possamos compartilhar práticas e soluções vencedoras. Entendemos que a Abralog é uma instituição séria e com alta credibilidade e know how logístico, com um grupo de associados de alto nível, além de vários programas e eventos – de treinamento e desenvolvimento – que podem ajudar em nosso crescimento.

A Tirol tem muitas marcas. Como elas explicam a trajetória da empresa?
A Lacticínios Tirol possui o mais amplo portfólio do setor lácteo nacional, e também tem uma das mais completas linhas de produtos zero lactose do País. Este é um grande diferencial, pois, ao contrário de outros players, que são fortes em apenas uma categoria, a Tirol é forte em todas categorias, sendo capaz de preencher uma gôndola inteira apenas com a sua variedade de itens. Começamos nossa jornada com a produção de leite C, depois a produção do leite UHT e, posteriormente, a dos derivados, que têm maior valor agregado. Em 2019 completamos 45 anos, estando presente nas categorias de leites, achocolatados, iogurtes, bebidas lácteas, requeijões, manteigas, queijos, cremes de leite, doces de leite e leites condensados.

O que a Tirol vai ser daqui a 5 anos?
A Tirol vai continuar a busca pela liderança. O gerenciamento da cadeia de suprimentos de uma forma mais otimizada é um dos desafios da empresa para atingir esse objetivo, assim como a entrada em novos mercados e a manutenção dos mercados já sob nossa liderança.

O que é a Tirol e como está constituída?
A Lacticínios Tirol, fundada em Treze Tílias (SC), em 1974, por imigrantes da região do Tirol austríaco, possui fábricas próprias em Santa Catarina, unidades terceirizadas no Rio Grande do Sul, Paraná e Goiás, e uma fábrica própria, em construção, no Paraná. De uma singela produção de cerca de 80 litros diários, aos mais de 2 milhões de litros atuais, a Tirol se tornou uma potência do setor lácteo brasileiro, apresentando um dos mais completos mix de produtos, com 170 rótulos.

 

 



Deixe uma resposta