Entrevista: Arthur Lavieri, CEO da Tópico

Engenheiro eletricista pós-graduado em administração industrial pela USP, com MBA pela Fundação Dom Cabral e post-MBA na Kellogg Business School, Arthur Lavieri é, desde 2019, CEO da Tópico. O executivo, que iniciou sua trajetória em empresas ligadas aos ramos de infraestrutura e serviços no Brasil, Estados Unidos e Alemanha, foi diretor da Siemens Tusa e CEO das empresas PPC Santana e Suzlon Energia Eólica. Também comandou a Solaris Equipamentos e Serviços, que compõe o grupo Southern Cross, controlador da Tópico. Aqui ele fala sobre logística, multimodalidade, infraestrutura e pandemia.

O que é a Tópico e quais seus principais produtos?
Fundada há mais de 40 anos, a Tópico é a empresa líder no mercado nacional no segmento de infraestruturas flexíveis. Com mais de 2,5 milhões de m² instalados, a empresa – que vende e aluga galpões flexíveis – contabiliza mais de 750 empresas ativas, sendo a maioria indústrias dos mais diversos setores, agronegócio, empresas de logística, infraestrutura e serviços em geral.

Como é a estrutura da empresa em termos de filiais, fábricas, número de funcionários, etc?
Tópico possui fábrica própria e centro de distribuição localizados em Embu das Artes, São Paulo, e filiais estratégicas em São Paulo (SP), Contagem (MG), Simões Filho (BA) e Parauapebas (PA). Atualmente, a empresa conta com mais de 380 colaboradores.

Quando a empresa foi fundada e qual a ideia dos fundadores ao criá-la?
Tópico foi fundada por Ricardo Vantini, em 1979, no bairro Cambuci (SP), como uma produtora e fornecedora de Toldos, Piscinas e Coberturas (Tópico). Com o passar dos anos, a companhia realizou a fusão dos negócios com outra grande empresa do setor e ampliou a atuação para área de armazenagem. Há seis anos, a empresa passou a ser gerida pelo fundo de private equity Southern Cross Group (SCG).

Como a Tópico está atuando durante a pandemia? Houve novos rumos?
Desde o começo da pandemia, a prioridade da Tópico foi o estabelecimento de todas as medidas de proteção para colaboradores, fornecedores e clientes. Como a Tópico foi incluída como serviço essencial logo no começo, para nós foi muito importante não parar as atividades e seguir com todas as precauções: investimento reforçado em EPI, treinamentos, distanciamento social, adição de equipes para termos mais flexibilidade para atendimento de clientes em campo. Adequamos fortemente os procedimentos para garantirmos a segurança de todos.

O que pensa a empresa sobre a logística brasileira?
O Brasil é um país de enormes necessidades em toda sua infraestrutura e a logística não fica de fora. A Tópico, como a maior empresa de infraestrutura flexível das Américas, quer fazer parte desse enorme desenvolvimento, seja no agronegócio, indústria, infraestrutura aeroportuária, tudo isso demanda muito investimento e a Tópico quer fazer parte disso.

Onde precisamos melhorar?
Precisamos desenvolver o ambiente de negócios, liberar investimentos com a certeza de que acontecem de forma mais simplificada.

Como a infraestrutura deficiente do País impacta a logística das organizações?
Basicamente custos e tempo de entrega cada vez mais alto. Quando comparamos com alguns países mais desenvolvidos, esse custo de logística acaba reduzindo muito da competitividade das indústrias e inovações. Inclusive, o negócio Tópico participa desses projetos de forma a reduzir custos, uma vez que a característica do produto é a montagem ágil, implantando galpões muito rapidamente e de acordo com o projeto dos clientes.

E a multimodalidade? Que falta ela faz ao País?
Acredito que o país ainda está ‘engatinhando’ na multimodalidade, especialmente no que diz respeito à integração dos modais ferroviário e fluvial. O ferroviário, por exemplo, demanda uma quantidade enorme de investimentos, especialmente para realizar de maneira mais barata e rápida o escoamento de safra e produção de regiões localizadas no interior do País.

Por que a empresa se associou à Abralog?
A Abralog é a associação que melhor representa o segmento de infraestrutura flexível no País. Então, a filiação da Tópico tem o objetivo de aprender e contribuir cada vez mais com as iniciativas do setor.



Deixe uma resposta