Intermodal e CNL  mostram para onde vai a logística 

A Abertura da 25ª Intermodal, nesta terça-feira (19 de março),mostrou o caminho que a logística do País deve tomar nos próximos anos, em função, principalmente, da infraestrutura que começa a sair do papel. Viviane Esse, Secretária-executiva Adjunta do Ministério da Infraestrutura, Diogo Piloni, Secretário Nacional de Portos e Transportes Aquaviários e Jean Carlos Pejo, da Secretaria Nacional de Mobilidade Urbana, apresentaram um pouco do que está por vir, como deixaram claro em suas palestras na XXII Conferência Nacional de Logística da Abralog, que se iniciou no mesmo dia .

Viviane Esse ressaltou as licitações de contratos de concessão que vão ocorrer nos próximos dias, a importância do diálogo do setor empresarial com o governo, a reestruturação do Ministério, contemplando quatro tipos de modais e a nova secretaria de parcerias, planejamento e fomento para incentivar a aproximação com a iniciativa privada. “Nosso País é muito rico e a infraestrutura é capaz de gerar novos empregos rapidamente e para isso precisamos da ajuda da iniciativa privada para finalizar obras inacabadas espalhadas pelo país”, ressaltou a Viviane Esse.

Importância da multimodalidade – Já Diogo Piloni, Secretário Nacional de Portos e Transportes Aquaviários, destacou a importância da multimodalidade de transporte no Brasil e os avanços necessários para a administração dos portos brasileiros. Há necessidade de reestruturação de acordo com cada localidade no País, disse. “Estamos aqui para apontar novos caminhos e buscar novas soluções através deste importante encontro que é a Intermodal”.

Jean Carlos Pejo, da Secretaria Nacional de Mobilidade Urbana, mencionou a contribuição dos empresários para a indicação de novos caminhos para a logística brasileira e também a parceria  governo-empresas como forma de avanços em direção à solução dos gargalos do setor.

Marco Basso, presidente da Informa Exhibitions no Brasil, chamou a atenção para a importância dos relacionamentos durante a Intermodal e dos debates nos três dias da XXI CNL.



Deixe um comentário